18 de jun de 2008

pra fixar o pensamento

Esses dias eu senti a falta que a falta me faz
qual será meu próximo arrependimento?

the and

E meu orgulho se manterá no zero
como eu aprendi a fazer no fim
E seu orgulho destrói o meu ego
que bem ensinado cabe em mim

Faz de mim cadarço
me amarre e dê um laço
Mas, não use em mim sapato
que chuta e pisa abandonado

11 de jun de 2008

Uma passeio de bicicleta e uma mente que voa

Eu ainda me lembro de uma época da minha infância, daquelas que a gente sempre sente saudades, eu assitia muitas vezes o filme do menino maluquinho, por causa de toda a diversão e também por causa do vô passarinho.
Naquela mesma época minha avó voou para mais longe, não houveram balões no céu, não tinha também motivos para sorrir. Meu avô paterno também voou e por último se foi o materno.
Da lembrança mais recente, ficou a de um velho que comentava, a cada dia que me via, sobre minha barba e me contava umas mentiras boas de ouvir, misturadas com algum resmungão.
Tempos bons os da infância, lembrança boa a dos meus avós, saudade que um dia também será esquecida, mas, sinceramente, espero que não.

A hora e a vez do cabelo crescer

Ando muito a pé,
ainda gosto de ver as pessoas passando.
Alguns sempre me alertam para os ônibus,
mas eu não quero nem saber,
vou andando, e devagar
vou pensando na vida.
O caminho é grande
mas vou fumando um cigarro.

7 de jun de 2008

Smells like Pedro Spirit

me chamaram de sem sal.
uma menina chata por amor,
me chamou de sem açucar.
já sentiu meu gosto alcólico?

uma me disse escandalosamente,
"você fede fumaça".
outra me disse suspirando,
"você fede meu escolhido".

pelo visto eu sou,
de muitos cheiros e atritos.
de uma vida às vagas,
muitos filmes poucos livros.

pelo visto eu sou
não só mais um tão esquisito.
pelo que sei eu vou
esbarrando em maus caminhos.