24 de out de 2011

Poema do Recalcado

Em mim, uma parte
sem delongas, ataca em poesia

Como sou e quanto falo
outra se alonga, proseia sem rimas

Se couber numa cadência,
deve ser que música vira

Porém há a que se cala
E em fantasia ou recalcada
é qual de mim mais fala

17 de out de 2011

Esse velho penteado

eu te conheço
eu lembro
eu sei de você

esse penteado já tá velho
é do meu tempo

e o meu tempo
você fingiu esquecer

então troque esse penteado

13 de out de 2011

Na casa vazia

Na casa vazia,
não tem hora pro almoço,
não tem motivo pra não experimentar um novo penteado,
não há porque não fazer desse corredor uma avenida,
do meu cachorro um público,
do meu sofá um palco,
dos meus livros mil mundos
e da saudade uma ligação pra sua casa

"oi, vem pra cá"

8 de out de 2011

Parte de mim

as madrugadas ainda são de recordação,
mas que porra é essa de ficar lembrando
que Fraqueza é essa de desejar o que não dá?

toma um rumo meu amigo, você já está bem cheio de calos, repleto de remendos, nem te falo sobre os trapos que te mantêm na moda, bicolor, dando um belo apelido pra monocromático.

Acorda, ela é da vida, você da morte.