23 de set de 2011

Tripalium

Preciso de grana
preciso de comer

Sonho pra viver
Vida de sonhar

Preciso trabalhar
me vender
me vendar

17 de set de 2011

Às traíras

Eu precisava expor essa angústia, esse peso de invasão
que não contava com sua astúcia, com a pedra no coração

Nada é o que me parece
e a resposta é sempre a mesma
um delinquente estrondo de amor
no mundo dos surdos

Meu pincel coloriu nesse quadro, cores que em mim não cabia
e o desenho do seu retrato, e a história da sua vida

Tudo é o que me pode
é a pergunta que deve mudar
um lúcido sussurro de ódio
no ouvido de quem aguentar

11 de set de 2011

O que ainda há

"não será o fim,
se você não voltar mais,
cuidarei de mim,
mesmo se eu ficar pra trás

Mas chegue perto de mim
só vá mesmo no fim
aproveite o que ainda há"








Viagens, voz, teclado e violão meus.
Pedro Ormuz

3 de set de 2011

Psicodelia e Absurdos


digite lento se vc estiver louco demais
mas não digite menos
tragas um copo
tragues um cigarro
siga adiante
escreva gemendo
vomitando colorido
rindo em branco em preto
mas escreva mais

meio ébrio, meio sóbrio, meio meu, resto teu


tem dias que eu chego bêbado
penso numa, penso em duas
três garotas?
que nada
três cervejas

elas sempre ficam geladas e vão esquentando
e ficam chatas quando ficam quentes demais
as cervejas?
que nada
as garotas

nem entendeu, pegou no papel, você precisava ver essa letra quando achei o rabisco
ele escreveu mel, ela escreveu fel,
eu não escrevi porra nenhuma

dor


sim eu tive tempo de repensar
sim
eu chorei
chorei demais
e quero ainda mais