31 de out de 2010

Trago

eu trago lentamente
e quando trago vou

vou mais rápido que trago
e quando volto
trago o que eu havia levado

30 de out de 2010

(...)

a virtude exata da sinceridade acontece quando a boca se cala
quando todo sopra chega ao ouvido


quanto mais te ouço
mais me escuto



29 de out de 2010

Minha estrada

I


Onde eu estava com a cabeça quando te falei que ia chegar atrasado?
Onde estava com a cabeça quando falei que seria melhor deixar pra amanhã?

Onde eu fui quando não fui aí, e onde dormi quando você não dormiu aqui?
Onde eu fui quando você foi sozinha pro outro lado e eu fiquei olhando pra trás e não vi minha estrada?

Que estrada é essa que me encantou quando virei o pescoço?

- Que pescoço é esse que habituou olhar pra trás?


II


Meu carro avançou,
Olhei no retrovisor
continuei olhando.

Meu carro parou.
é mais seguro
olhar pra trás parado.


III


Só seguirei olhando pra frente
.não tiro olho do retrovisor

acelero, não olho pra frente
acelero, não olho pros lados

vozes atropeladas, acelero
gargantas cortadas, acelero

não tiro o olho do retrovisor
um muro, choque


IV


não morro, mas me mato
não morro, mas ressurjo

olho adiante, outro muro
atrás, meu carro quebrado

caminho adiante,
vou pro rumo do muro


V


escalo, pulo
ultrapasso o muro

e vejo que além do muro
Minha Estrada

28 de out de 2010

diáfana, Diaba

fome
te amo
me chupa
se foda
me fode
qual é
qual foi
paga cocota
e vai tomar no cu



é GOL

25 de out de 2010

As medidas

As medidas me contraríam
desmentem meu olhar

me enganam quando olho um espaço grande
que só é preenchido por uma pessoa pequena.

E sinto pena do espaço que vi
E sinto dó da rolha que não tampa

23 de out de 2010

lounge, lá de longe

queria mesmo mudar pra longe.
quem está perto aqui, tá longe.
talvez longe daqui, até eu fique perto de mim.

fumando de novo, outra bituca

fumando, fiz lixo da bituca no chão e a amei.

fumando, fiz lixo do meu chão e o retirei.

amando, me fudi inteiro e fumei.

Fumando, fiz lixo da bituca no chão e a amei.

Jogar lixo no chão é feio
o amor é lindo
o cigarro mata;

em outra curva:

Jogar lixo no chão é lindo
o cigarro é feio
o amor mata

, mas pode variar outras vezes ainda.
e precisar de mais cigarros.

21 de out de 2010

O Próprio amor-prÓpio

Estava tão só que resolveu fugir de si.

Escreveu uma carta pra si, mandou pra casa,
terminou tudo consigo mesmo.

Não abriu quando recebeu.

Ignorar, estava na moda.
Ter razão, não.

Te vi, ri

A beleza esteve sempre aqui
Os olhos estavam acolá

Sempre que passei te vi sorrir
Você sorrindo não me viu passar

18 de out de 2010

see around

do belo e do limpo
virei carisma e expansão

"mas compreendi que além de dois
existem mais"

a foto

a foto marca, enlaça
come, fere e não apaga.
quando a memória se apaga
a foto enlaçada traz a marca

fere se tudo ainda é ferida
acalma se tudo foi aconchego
dá nas trevas luz do novo
com coragem antigo desejo

a foto embaça com lágrima
se corta toda com a tesoura
mas a memória foto se alastra

não se apaga se rasga,
não esquece memória falha,
matéria prima do vulcão é lava.

12 de out de 2010

Caminho de Ida

Pequeno perante o mundo
Pequeno perante meu pai

Nada fiz
Nada trouxe
Nada tenho

Tudo me resta

10 de out de 2010

pelas coxas, nos ouvidos

a língua, a lambida, tudo rosa, tudo flui
tudo língua, tudo rosa, psicodelia
amor, amorte, língua, tudo rosa, tudo flui
tudo absurdo, ensurdecido, absorto
pelas coxas nos ouvidos


nos ouvidos... meus gemidos, teus sussurros...louco, mudo, insandecido

9 de out de 2010

Abraço em flores

Um homem não é capaz de abraçar uma flor
Uma flor só pode crescer na terra e no sol.
Homens gostam de perder seu chão e viver na sombra.

7 de out de 2010

folha em branco

branca, areia branca
ternura e seda, branca
mar azul que leva
esconde e molha, azul

céu azul e areia, branca
saudade,
um arco-íris de saudade
dores brancas