29 de out de 2010

Minha estrada

I


Onde eu estava com a cabeça quando te falei que ia chegar atrasado?
Onde estava com a cabeça quando falei que seria melhor deixar pra amanhã?

Onde eu fui quando não fui aí, e onde dormi quando você não dormiu aqui?
Onde eu fui quando você foi sozinha pro outro lado e eu fiquei olhando pra trás e não vi minha estrada?

Que estrada é essa que me encantou quando virei o pescoço?

- Que pescoço é esse que habituou olhar pra trás?


II


Meu carro avançou,
Olhei no retrovisor
continuei olhando.

Meu carro parou.
é mais seguro
olhar pra trás parado.


III


Só seguirei olhando pra frente
.não tiro olho do retrovisor

acelero, não olho pra frente
acelero, não olho pros lados

vozes atropeladas, acelero
gargantas cortadas, acelero

não tiro o olho do retrovisor
um muro, choque


IV


não morro, mas me mato
não morro, mas ressurjo

olho adiante, outro muro
atrás, meu carro quebrado

caminho adiante,
vou pro rumo do muro


V


escalo, pulo
ultrapasso o muro

e vejo que além do muro
Minha Estrada

2 comentários:

  1. Gostei do modo como você escreve.
    As palavras parecem sair tão livremente, levemente...

    ResponderExcluir