29 de dez de 2011

XIX

É preciso falar
Treinar a pontaria
E tendo boa arma
Mirar alvos superiores

XVII

Anote aí, no seu note
essa nota que direi:

— Não se perca por pouco,
o absurdo está além,
se nada volta,
tudo pode recomeçar.

XVI

Pagando caro por receber pouco
pagando caro
pagando
pagando caro
caro por receber pouco
pagando caro por receber pouco

XV

Homem do espaço,
já ouvi seus gritos,
tudo pelo rádio

Homem do espaço,
habitante do zero G,
respire fundo no vácuo

Você longe da Terra
Eu numa órbita fora do espaço
Você seis meses nessa nave
Eu o ano todo entediado

XIV

Faça sol
Faça chuva
Faça Café

XIII

Quanto mais bonito se acha
mais se é.
Mas sábio não.

XI

Enrola um cigarro
Desenrola um papo

X

Juvenal cansou de ser discreto
descreveu seu riso
nada discriminou dos excessos

IX

Crise Existencial, um novo big-bang, na cabeça de Juvenal

VIII

O medo que move
O marco que morde
A ameaça que ameniza

Um sonho sujo
De vermelho vinho
Desejo e cobiça

VII

Pobre Rico

E o dinheiro? Estive anos sem ele
e não recebi por mérito meu.
E daí, meu chapa!
Eu tenho um milhão de dólares
e posso ter a mulher que quiser.
Se você me conhece,
sinta orgulho,
só os bons me rodeiam.
Eu tenho dinheiro.
Mais nada.
O que mais precisaria?

VI

Infinitos esqueceram de mim...

E meus pais saíram de viagem
a casa é minha
O mundo ainda é deles
Mas que mundinho sem graça

Mal sabem eles que estou:
comendo sorvete e acordando tarde
assustando ladrões e assistindo godfather

Há por aqui uns ladrões babacas
Pr'eles nem me escondo de baixo da cama
"Eu sou o Homem da casa"

V

O mesmo filme na tv
ele me leva 15 anos no tempo
mas são ainda mais velhos

IV

Bom aconchego é o amigo
se faz presente só de pensar
e da saudade daquele cara
fez a vontade ir lá visitar

Raros amigos e raras visitas
Pois é, o tempo ensina aceitar

III

Cordeiro Santana

Quanto desperdício de tempo
pra você se manter atento
a se limitar no pouco
de manter-se avesso a Ti

II

O cheiro Humano: um frescor
Um erro Humano:  fati amor

e eu escrevendo pra tentar me situar

I

I

Toca a Ti

O que te repele toca-te
O que te fura toca-te
O que temes toca-te
Você sozinho te toca
e todo o mundo toca a ti

Excrementos de dezembro

Do dia 24/11 até o dia 31 de dezembro de 2011, postarei aqui os "Excrementos de Dezembro":
Textos, frases soltas, poemas, sem objetivo ou estilo, todos expelidos nesse intervalo de tempo.

Boas festas, absurdas e psicodélicas festas de fim de ano e seus excrementos.