29 de ago de 2007

Por entre Elfos








Ao velar teu sono
Presumir meu teu sonho
Faço do dia amante
E acabo por mim
Fazendo-me teu

Sendo preso em teu ilagre
Amante do dia e à dia repudiante
Fumaça em vento
Canto em cores

Corais em negrito

Verso assumido, alegria, sentença
Grandes e belos pastos verdes
Cabeça em consolo macio

Alimentando de ar puro
Velejando memoriais e estações
Sentado à beira

Nadando pra não afogar
Afogo então, estendido no fundo
Do lado do oposto
Avesso de mim
Em balde e bidê

A companhia que prevalece
Cede à mim você

Nenhum comentário:

Postar um comentário